Dando prosseguimento aos encontros com presidentes de partidos políticos, a Esfera Brasil recebeu nesta sexta (20) Valdemar Costa Neto, do PL, para falar sobre a campanha à reeleição de Jair Bolsonaro (PL). Costa Neto afirmou que o presidente da República ganhará as eleições e disse que ele "tirará a diferença de 4 pontos que atualmente tem para Lula (PT) nas pesquisas de intenção de voto" com as 40 inserções na TV garantidas por lei que o partido terá no próximo mês.

Segundo o líder do PL, essas inserções ajudarão Bolsonaro principalmente no Nordeste, onde Lula é forte. “Fizemos propaganda agora no Nordeste para mostrar que os 400 reais que eles recebem [de auxílio] são do Bolsonaro, do governo federal. Fizemos uma pesquisa e as pessoas não sabem de onde vem o auxílio”, disse. “Nossa grande diferença [de votos] está no Nordeste. Com essas inserções na TV vamos poder esclarecer para o povo do Nordeste o que o Bolsonaro fez.”

Costa Neto disse que o programa de governo de Bolsonaro terá novos projetos para fazer o Brasil se desenvolver mais e sair da crise econômica. “Vamos ter que enfrentar a crise do combustível, pensar em privatizar parte da Petrobras”, afirmou. “Ele [Bolsonaro] não pode fazer nada agora por causa das eleições, mas quero dizer que o presidente está preparado para isso, tem vontade de acabar com isso [a crise].

Questionado sobre o que poderá prejudicar a reeleição do presidente, Costa Neto elencou a inflação, a alta de combustíveis e os preços da luz e do gás como as principais dificuldades que serão enfrentadas na campanha.

Respondendo a uma pergunta feita pelos seguidores da Esfera Brasil nas redes sociais sobre a viabilidade de uma terceira via, Costa Neto afirmou: "A terceira via é uma piada. Vai ser a eleição mais disputada e uma guerra com os fanáticos de dois pontos extremos com Lula e Bolsonaro. A terceira via não terá a menor chance”.

O líder do PL também comentou a declaração recente de Bolsonaro de que o partido contratará uma empresa para fazer auditoria dos votos. Segundo Costa Neto, haverá “fiscalização”, não auditoria. “Fiscalização tem que ser feita e vamos fazer. O TSE incentiva, convida os partidos e nós não cumprimos nossa obrigação.”

Sobre a disputa para o governo de São Paulo, Costa Neto disse que o PL ofereceu o candidato a vice para a chapa de Tarcisio Gomes de Freitas (Republicanos) e que acredita que o ex-ministro da Infraestrutura poderá crescer. Segundo ele, a “guerra” no Estado de SP será para decidir quem irá ao segundo turno com Fernando Haddad, do PT. “Sei que quem for com ele [Haddad], ganha a eleição.”