Em encontro promovido pelo Esfera Brasil, think tank que reúne empresários, empreendedores e a classe produtiva, na noite desta quarta (30), em São Paulo, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou que em dois anos o banco estatal terá um crescimento de 100 bilhões de reais nas linhas de crédito do agro e passará o Banco do Brasil no ranking de maiores instituições financeiras do país. 

“Crescemos 20 vezes em um ano no agro e daqui a dois anos vamos passar o Banco do Brasil. O pessoal do Banco do Brasil vai ficar bravo, mas a Caixa hoje é um banco muito sensível para o Brasil. É um banco que já foi quebrado e teve um aporte de capital que gerou até a saída de um presidente”, disse ele no encontro que também contou com a presença de Daniella Marques, secretária especial do Ministério da Economia, e que teve mediação do empresário João Camargo.

Segundo ele, a carteira de crédito da Caixa, que hoje é de 900 bilhões de reais, chegará a 1 trilhão de reais neste ano. Guimarães também disse que a Caixa está abrindo trezentas agências pelo país e reduzindo juros, “enquanto todo mundo, corretamente, está fechando quinhentas”. “Como o ministro Paulo Guedes fala, a Caixa hoje tem um poder e um tamanho que nunca teve.”

O executivo afirmou que a Caixa é “‘imprivatizável’ (sic) pelos próximos cem anos”. “Quem é que vai executar esse tanto de política pública? Quem iria fazer o auxílio emergencial? Agora vamos pagar o FGTS de 42 milhões de pessoas em dois meses.”

A Esfera Brasil é uma organização criada para fomentar o pensamento e o diálogo sobre o Brasil e um think tank que reúne empresários, empreendedores e a classe produtiva.